Drº Rogério S. Rodrigues

Natural de Ituverava- SP, Formado em 1995 pela UNIFIPA – SP com residência médica em cirurgia do aparelho digestivo e endoscopia digestiva, Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva – CBCD; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva – SOBED; Sociedade Brasileira de Videocirurgia – SOBRACIL; Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica – SBCBM e Internetional Federation for de Surgery of Obesity. Coordena a equipe do Núcleo Especializado no Tratamento da Obesidade e Gastrocirurgia – Netog.

— Dr. Rogério S. Rodrigues —

QUEM SOMOS

Trata-se de um serviço multidisciplinar que visa ajudar e controlar o problema da obesidade, devido a grande complexidade que envolve o tratamento desta doença, coordenado pelo Cirurgião Geral e do Aparelho Digestivo, Dr. Rogério S. Rodrigues.

O Núcleo é composto por uma equipe multidisciplinar (Cirurgiões especializados, clínicos, nutricionistas, psicólogos) capacitada para ajuda-lo no tratamento, clínico ou cirúrgico da obesidade. Por ser uma doença de difícil tratamento e causas variadas, o contato com diversos profissionais possibilita um sucesso muito maior do que um tratamento isolado.

Baseados nessa estrutura montada e já atuante junto aos convênios e instituições hospitalares, vimos por meio desta realizar uma proposta para atendimento dos pacientes de seu seguro / plano de assistência medica.

 

OBESIDADE

 

Obesidade é o aumento de peso às custas de tecido adiposo (gordura). É hoje, considerada a Epidemia do 3º milênio. No Brasil estima – se que 15% dos adultos são obesos, com aumento importante da obesidade nos últimos 20 anos. Daí ser um grande desafio da saúde pública, visto que ocupa o 2º lugar em causa de morte do país.

Então, em 1983 a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou uma classificação do grau de obesidade para  diferenciar pacientes de maior risco de vida, como também, para selecionar o melhor tratamento para cada caso.

 

ESTAMOS FALANDO DO IMC (Índice de Massa Corpórea):

 

 

CLASSIFICAÇÃO DA BESIDADE

 

OBESIDADE GRAVE OU GRAU III

 

A obesidade mórbida é, portanto, a de Grau III (IMC igual ou maior que 40 Kg / m ²), trazendo elevado risco de morte súbita (maior que 20%), devido a sua má repercussão no organismo, predispondo o indivíduo para diabetes, hipertensão arterial (pressão alta), arteriosclerose, ataques do coração, derrame cerebral, artrites, varizes, flebites, doenças pulmonares, infertilidade, impotência, feridas nas pernas por má circulação, doenças de pele; alguns tipos de câncer (mama, endométrio, intestino, próstata), além de problemas de ordem psicológica e social. Esses efeitos acabam por dificultar e encurtar a vida dos obesos mórbidos.

 

COMO TRATAR ESTE MAL DO SÉCULO?

 

Para os casos de sobrepeso até obesidade moderada sem doenças associadas, o tratamento de escolha é clínico, com medicações, mudança de hábito alimentar e exercícios físicos regulares Já os pacientes obesos mórbidos submetidos ao tratamento clínico conseguem emagrecer apenas 10% do excesso de peso inicial e somente 1% destes consegue manter o peso por mais de 1 ano.

Então, para os casos de obesidade mórbida, o tratamento de escolha é o cirúrgico por Cirurgia Bariátrica, pois é o único eficaz no emagrecimento com manutenção do peso.

 

OBJETIVO DA CIRURGIA

 

É o de reduzir o peso para níveis, nos quais, os riscos da obesidade são aceitáveis e a mortalidade seja próxima à da população não obesa, ou seja, A obesidade traz prejuízos à saúde, como:

–  Dificuldades respiratórias;

–  Problemas dermatológicos;

–  Distúrbios do aparelho locomotor;

–  Problemas cardiovasculares;

–  Dificuldades no relacionamento interpessoal;

–  Depressão;

–  Aumento no ciclo da ansiedade;

–  Redução da auto-estima;

–  Diabetes;

–  Hipertensão;

–  Apnéia do sono;

–  Alguns tipos de câncer.

 

TRATAMENTO CIRÚRGICO

 

As cirurgias para tratar obesidade mórbida são chamadas de cirurgias bariátricas e existem há vários anos. Elas consistem em alterar o tamanho do estômago, o caminho da comida pelo intestino ou ambos.

Como o objetivo do Núcleo é estar sempre atualizado e apto a atuar com as novidades tecnológicas do campo médico, a equipe realiza hoje todas as técnicas de videocirurgia bariátrica.

 

QUANDO A CIRURGIA É INDICADA?

 

Atualmente trabalha-se com os seguintes critérios para indicação da cirurgia bariátrica:

–  IMC > 40 kg/m² ou peso superior a 45 kg do peso ideal;

–  IMC > 35 kg/m² com comorbidades graves;

–  Consciência plena sobre o procedimento;

–  Tentativas prévias sem sucesso de perda de peso através de tratamento médico ou nutricional bem conduzidos;

–  Ausência de quadros psicopatológicos graves;

–  Possibilidade de manter seguimento pós-operatório;

–  Consentimento por escrito depois do esclarecimento.

 

CONTRA-INDICAÇÕES

 

Veja os casos onde a cirurgia é contra-indicada (lembre-se que somente a Equipe Médica pode avaliar cada caso com suas particularidades):

–  Pacientes  < que 15 anos;

–  Obesidade causada por doenças endócrinas;

–  Portadores de doenças com risco inaceitáveis;

–  Falta de implicação do paciente no seguimento do tratamento;

–  Dependência Química;

–  Psicoses descompensadas.

E do ponto de vista do cliente, está contra – indicada quando houver dúvidas quanto às modificações que a perda de peso trará para sua vida.

É importante frisar que o sucesso do tratamento cirúrgico da obesidade mórbida depende, principalmente, da motivação do indivíduo e de uma indicação cirúrgica precisa. É indispensável que o obeso se sinta devidamente esclarecido e deseje alcançar os benefícios oferecidos pela cirurgia. Deve aceitar plenamente o que lhe é proposto e, compreendendo os mecanismos da operação, estar preparado para eventuais desconfortos e até mesmo, complicações próprias do ato cirúrgico.

 

Cordialmente

Rogério dos Santos Rodrigues